Compartilhar

Etimologia de Burguesia

A palavra burguesia em castelhano vem de burgo, que significa cidade. Burgo, por sua vez, provém da língua germânica, mais especificamente do vocábulo baurgs, que pode ser traduzido como fortaleza. Este termo fazia referência aos ricos que viviam nos núcleos urbanos no período medieval da Europa.

Uma nova classe social

Por volta do século XI os povos da Europa viviam sob o sistema feudal. Neste contexto, os habitantes do campo produziam matérias-primas e aqueles que viviam nas cidades fabricavam os produtos manufaturados. Assim, havia um intercâmbio entre o campo e a cidade. No entanto, a produção excedente terminava nas mãos do senhor feudal. Esta situação começou a mudar a partir do século XIV quando os artesãos e comerciantes das cidades europeias começaram a enriquecer de maneira notável como consequência deste intercâmbio comercial com o resto do mundo.

Os senhores feudais pertenciam à classe privilegiada e possuíam terras, mas para comprar tecidos ou ferramentas tinham que ir a um comerciante da cidade.

Assim, houve uma situação paradoxal: o comerciante enriquecido (o burguês) era inferior socialmente, mas tinha uma riqueza econômica maior.

As empresas se tornaram tão importantes que foi necessário criar associações ou comendas para unir os interesses dos comerciantes. Com o fim de manter sua independência econômica em relação ao poder do senhor feudal, em algumas cidades os novos ricos impulsionaram um sistema de governo autônomo.

Cada cidade formava seu próprio governo com representantes das associações de comerciantes (as guildas) e com representantes dos grêmios artesanais. Com o passar do tempo, as assembleias de municípios foram dominadas pelos membros da alta burguesia.

Na Europa medieval ainda não se falava sobre a pequena burguesia ou petite bourgeoise, um conceito cunhado no século XVIII para referir aos profissionais e comerciantes que se encontram entre duas classes sociais: o proletariado ou classe trabalhadora e a alta burguesia ou capitalistas.

Uma nova visão cultural

O surgimento da burguesia como nova classe social não deve ser interpretado exclusivamente em um sentido econômico. Na verdade, o espírito desta nova categoria de cidadãos foi determinante na criação das primeiras universidades na Europa (a universidade como instituição surgiu como alternativa frente às escolas episcopais). Junto às universidades também apareceram residências para estudantes.

Neste novo clima intelectual, a literatura épica e os poemas religiosos típicos do feudalismo foram abandonados e surgiu uma nova forma de criação literária: a narrativa (por exemplo, os livros de Cavalaria e os contos com intenção satírica, como Decameron de Bocaccio).

A família dos Medicis, na cidade de Florença, dedicava-se ao comércio e ao setor bancário, mas também impulsionou a criação artística durante o Renascimento.


    : Archivist

Vinculado

Buscador